Arquivo de Novembro, 2010

Projecto Pessoal: Traduções.

Recentemente – há coisa de um mês, mês e meio – pus na cabeça que me queria mudar para Leiria, à sugestão e execução de um amigo meu. No entanto, depois de consultar as unidades parentais, deram-me a desculpa do costume de não haver dinheiro para tais projectos. Pois bem, que seja, se o tiver de arranjar eu, tudo bem. Não há de ser assim tão difícil.

O problema principal é, claro, a conjugação do horário das aulas com o horário de trabalho, pelo que as hipóteses que mais considerei foram as freelance. Um part-time provavelmente tiraria demasiado tempo ao estudo/trabalhos de grupo, e, como as coisas estão, também não é uma opção muito affordable, já para não falar que a vontade de ter MAIS um horário fixo não é muita. Last resort mesmo.

Um pequeno e curto brainstorming feito numa das já inúmeras viagens Leiria-Nazaré e vice-versa, abençoadas, que servem para estas coisas e para ouvir podcasts, deu-me três soluções para este problema:

1) Trabalhar para e fazer a carreira Oriflame.

Embora não goste de cosméticos, tenho que admitir que o dinheiro que se pode ganhar aqui é tentador. No entanto, a carreira requer algumas skills de networking que eu simplesmente não possuo, pelo menos para fazer algum progresso decente. Mesmo assim, como objectivo terciário é algo a considerar. Já agora aproveito para dizer que, se alguém estiver interessado em se inscrever, basta contactar-me.

2) Dar Explicações.

Esta é outra opção que não seria muito difícil. Na ESTG já tive Inglês e o nível que me foi atribuido inicialmente foi C2. Como a ESTG já não tem aulas/exame de nível C2, fiz C1 com uma bela nota de 18,8 (0 a 20, claro está).

Acho, então, que estou qualificada a dar explicações do 5º ao 12º anos, que são os anos de escolaridade que existem onde vivo. O problema com esta opção é que teria horas fixas, provavelmente ao fim de semana ou à tardinha, depois das aulas.

3) Fazer traduções Inglês-Português, Português-Inglês.

Pelas mesmas razões pelas quais que me acho qualificada a dar explicações, podia fazer traduções. Esta parece-me a melhor opção pois posso trabalhar quando tiver tempo e ainda ganhar algum dinheiro decente. Ainda tenho que pesquisar mais sobre preços, mas pelo que vi até agora, em certos tipos de texto 0,05€ por palavra até era barato. É complicado porque nem os profissionais se acertam com o preço.

Parece-me que a hipótese que mais se conjugaria no que estou à procura, seria mesmo as traduções. A questão é que não faço ideia (por agora) de como pôr isto a bombar. Provavelmente pela net? Existem vários sites de anûncios grátis mas mesmo assim não me parece que tenham as pageviews necessárias. Não custa tentar, e em breve vou dedicar um tempinho a inicializar este projecto.

Issue número 2, como fazer a troca tradução-dinheiro. Por ficheiro, arrisco-me ou a mandar a tradução e não ser paga, ou não confiarem em mim para lhes mandar o trabalho depois de pagar. Uma solução possível seria imprimir a tradução, meter num envelope A4 e mandar à cobrança. Tenho que ver se isso tem custos adicionais ou se estes podem ser pagos pelo cliente.

O meu namorado diz que poderia, também, cobrar 50% do custo no início e 50% no final, o que também é uma hipótese. Se calhar a maneira mais correcta de cobrar seria adaptar o método às necessidades do cliente. É preciso pensar bem nisto, ver com calma, delinear um plano, executar, ver se dá resultados e iterar. Nunca desistir!

Caso isto vá avante e dê (ou não) frutos, farei um outro post a dar notícias, mostrar com que problemas ou não me deparei e como os resolvi. Stay tuned.

,

2 comentários

We now present…The Flying Dragon Inn!

Muito boas tardes! Achei por bem começar este blog com um belíssimo post de introdução, como já é da praxe para todos os novos bloggers. Não sei bem porque decidi começar um blog. Acho que estou aborrecida, sinto falta de um hobbie de infância/adolescência, do bixinho da escrita, da criação de uma obra literária, de um texto.

 

Bem, vou começar por falar sobre mim. O meu nome é Alexandra Pedro – ai de quem me chame Sra. Pedro – e sou aluna de Engenharia Informática no Instituto Politécnico de Leiria – ESTG. Sim, sou muito geek, muito mesmo.

 

Os meus passatempos favoritos incluêm estar com os amigos, escrever e trabalhar em projectos pessoais, sejam eles acabar um jogo, programar, queixar-me da vida ou o que seja. Não me importa desde que não tenha tempo morto (excepto as mínimas 10+ horas de sono claro está!).

 

Tenho uma bela miscelânia de interesses que vão desde o World of Warcraft a self-studies sobre sexualidade humana, passando por finânças pessoais até filosofias. Acho que é óbvio que este blog vai ser um belo “tudo ao molhe e fé em deus”! Mas tenho quase a certeza que consigo fazer com que todos esses artigos sejam minimamente interessantes.

 

Mais…bem, não sei. Não há muito para dizer sobre a minha vida pessoal, que é igual a tantas outras: acordar de manhã, ir para a Uni, estar nas aulas, avacalhar com os amigos e tal, nada de especial. Como geek que sou, claro que tenho sempre um olho nos novos gadjets/softwares que saem aí para o mercado. Recomendo desde já os sites www.howtogeek.com (Em Inglês) e pplware.sapo.pt (Em Português). São dois websites dedicados completamente à geekagem que estão firmamente embebidos no meu Google Reader para um checkup diário.

 

Falei em projectos pessoais. Não sei se deixei alguém curioso por saber em que consistem. Pelo sim pelo não, vou falar deste que estão a ler neste preciso momento, um blog.

 

Como referi acima, não sei bem porque comecei um blog. Deu-me na telha, olhem… E no entanto, não é assim que começam as grandes coisas da vida? Sobretudo comecei um blog porque achei que devia pôr as minhas ideias no papel virtual, mesmo que ninguém leia, mesmo que este blog tenha apenas as pageviews que apenas eu lhe dou. Tenho opiniões que gostava de partilhar, de elaborar, que não o podem ser no circulo de amigos que apenas estão a descarregar pressões depois de uma belíssima aula de Programação Avançada.

 

O nome que dei a este blog, The Flying Dragon Inn, vem do meu amor por tudo o quanto è fantasia – desde Tolkien a fanfiction no FictionPress.com, a jogos, a posters, a figurinhas – e video-jogos de RPG, os belíssimos jogos, especialmente em mundo aberto (World of Warcraft e a série Elder Scrolls). Podem apostar que de vez em quando vou fazer posts sobre estes ultimos. Acho que fazem grande parte da minha vida, os jogos e os livros, sendo duas constantes desde que eu era minúscula e a minha mãe me lia estórias daqueles livros “365 histórias”, uma para cada noite.

 

Ok, já me apresentei e ao blog, acho que termino este post aqui. Ainda não tenho um horário de posting definido. Não sei se alguma vez terei. Mas vou fazer o meu melhor para postar, talvez uma vez por mês. Por agora, adeus.

 

, , , , ,

Deixe um comentário